Início > Arquivo Noticias > Futebol > A noite em que o Sporting pensou ter eliminado o Rangers
Terça, 25 Janeiro 2022
A noite em que o Sporting pensou ter eliminado o Rangers PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Terça, 01 Abril 2008 12:24
Foto: Sporting - RangersVitor Damas fez as mais inúteis defesas da sua carreira

A visita do Rangers a Alvalade para os quartos-de-final da Taça UEFA acende nos adeptos sportinguistas a memória de uma das noites mais insólitas no historial europeu do Sporting. Aconteceu a 3 de Novembro de 1971, quando os leões receberam a equipa escocesa, na segunda mão dos oitavos-de-final da Taça dos Vencedores das Taças.

Recorde o sorteio dos quartos-de-final da Taça UEFA.

As coisas tinham estado mal paradas no primeiro jogo, em Glasgow: a 20 minutos do fim, o Rangers vencia por 3-0 e a eliminação parecia certa. Mas golos de Chico Faria e Pedro Gomes fixaram o marcador em 3-2, relançando as expectativas para o segundo jogo.



Em Alvalade, Yazalde marcou primeiro, dando vantagem à equipa portuguesa. O escocês Stein fez o empate, e repetiria a graça após novo golo de Tomé. Com 2-2 o Sporting estava eliminado, mas Pedro Gomes voltou a ser o homem providencial, marcando o golo que igualava a eliminatória a cinco minutos do fim.

O jogo seguiu para prolongamento e um remate do escocês Henderson, desviado por Laranjeira, determinou o 3-3, que obrigava os leões a marcar mais dois golos. Só conseguiram mais um, por Peres, de penalty, e a eliminação parecia certa. Mas foi então que o incrível aconteceu.

O árbitro holandês Van Ravens, pouco familiarizado com os regulamentos, achou que os golos obtidos no prolongamento não contavam para a nova regra que definia o número de golos fora como factor de desempate. E como tal declarou a eliminatória empatada, exigindo que se procedesse à marcação de penalties.

Perante os protestos dos escoceses, Vítor Damas, o maior símbolo dessa equipa dos leões, foi para a baliza e iniciou uma proeza tão gloriosa quanto inútil. Enquanto o Sporting marcava por duas vezes, Damas defendeu o primeiro, o segundo, o segundo outra vez (o árbitro tinha mandado repetir) e o terceiro remate dos escoceses. Ao quarto, desmoralizado com o talento daquele gigante das balizas, Stein atirou para fora. Os adeptos do Sporting festejavam o apuramento e Damas era levado em ombros pelos companheiros.

Logo ali, no relvado, ficou a sensação que alguma coisa não estava bem: o delegado da UEFA, o espanhol Andrés Ramirez, conversava demoradamente com o árbitro enquanto os escoceses, inconformados, prosseguiam os protestos. O relatório de Ramirez para a UEFA explicava o sucedido e colocava a decisão nas mãos daquele organismo, deixando claro que, em seu entender, o Rangers tinha passado. A UEFA, seguindo os regulamentos, decidiu da mesma forma. O Sporting estava fora da prova.

O Rangers, que vivia um período de luto, pela tragédia de Ibrox, ocorrida em Janeiro desse ano, prosseguiria a caminhada europeia. Nas rondas seguintes, bateu o Torino, o Bayern de Munique e o Dínamo Moscovo para conquistar, nessa época, o único troféu europeu do seu historial.


Ficha do jogo
3 de Novembro de 1971, estádio de Alvalade
Árbitro: Van Ravens (Holanda)

SPORTING: Damas; Pedro Gomes, Caló, Laranjeira e Hilário; Tomé (Nélson, 65 m), Vagner e Fernando Peres; Lourenço, Yazalde e Dinis (Marinho, 81 m).

RANGERS: McLoy; Greig, McKinnon (Smith, 73 m), Jackson e Mathison; Jardine e Conn; Henderson, Stein, Johnston (McLean, 65 m) e McDonald.

Marcadores: 1-0, Yazalde (25 m); 1-1, Stein (26 m); 2-1, Tomé (38 m); 2-2, Stein (46 m); 3-2, Pedro Gomes (86 m); 3-3, Henderson (100 m); 4-3, Peres (115, g.p.)

 

In maisfutebol.iol.pt


Ítems Relacionados:

 

Redes Sociais

  • Facebook Page: 204936909525135
  • Twitter: scpmemoria
  • YouTube: scpcpmemoria

Escolher Campeonato

RSS Notícias

rss_videos Notícias

Siga-nos no Facebook

header_wikisporting